Lei cria Dia Estadual da Quebradeira de Coco em homenagem a Dona Raimunda

0

Trabalho da líder comunitária ajudou a divulgar o produto e a criar a associação que representa a categoria. Ela chegou a ser indicada ao prêmio Nobel da Paz.

Uma nova lei cria o Dia Estadual da Quebradeira de Coco no Tocantins. A medida, já sancionada pelo governador Mauro Carlesse (DEM), é uma homenagem a todas as mulheres que trabalham com o extrativismo do coco babaçu. A data escolhida, 7 de novembro, coincide com a morte de dona Raimunda Gomes da Silva, conhecida como Dona Raimunda Quebradeira de Coco.

A líder comunitária se tornou conhecida no começo dos anos 1990, quando ajudou a criar a associação que representas as artesãs da área e a divulgar os produtos feitos através do babaçu.

Ela morreu por complicações da diabetes no fim de 2018 quando estava em casa no povoado Sete Barracas, no município de São Miguel do Tocantins. Dona Raimunda tinha 78 anos.

Coco babaçu se tranforma em acessórios femininos — Foto: Fabio Del Re/Sebrae Tocantins

A fama dela rompeu as fronteiras do Brasil. Foi à China, aos Estados Unidos, à França e ao Canadá. Ela também chegou a ser indicada ao Prêmio Nobel da Paz e recebeu homenagens do da Assembleia Legislativa do Tocantins e do Senado Federal. Em 2009, recebeu o título de doutora Honoris Causa pela Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Atualmente, o extrativismo a partir do coco babaçu é realizado nos estados do Tocantins, Maranhão, Pará e Piauí. A atividade envolve quase que exclusivamente mulheres num total de 300 mil pessoas.

O objetivo da nova lei é conscientizar as gerações mais jovens a respeito da importância do produto para a economia local.

Artesanato de coco babaçu feito no Tocantins — Foto: Fabio Del Re/Sebrae Tocantins
Bolsas feitas com o coco babaçu no Tocantins — Foto: Fabio Del Re/Sebrae Tocantins

DEIXAR COMENTÁRIO

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui