Pesquisa aponta que 160 mil empreendedores trabalham na informalidade no Tocantins

0

Relatório do Sebrae aponta que setores da agropecuária e da construção civil são os mais possuem pessoas na informalidade. Falta de informação impede que elas se regularizem.

No Tocantins há 160 mil empreendedores trabalhando na informalidade. É o que aponta uma pesquisa do Sebrae. A falta de informação é um dos principais motivos que impedem a pessoa de se regularizar.

“O conhecimento sobre o que é formalizado, a formalização, tira das pessoas aquele medo que se tem em relação a ser formalizado, porque a formalização traz diversos benefícios e esses benefícios, muitas vezes, não é só para a pessoa, mas é social. Gera emprego, faz com que a empresa cresça, gere renda na região no qual ele está inserido”, explicou o analista técnico do Sebrae Wesley Cardoso.

O relatório, referente ao ano de 2018, mostra que os setores da agropecuária e da construção civil são os que mais possuem pessoas trabalhando na informalmente no Tocantins. “A pessoa que é formalizada pode emitir nota fiscal, consequentemente, comprar mais barato e vender mais barato. Pode participar de licitações públicas que ampliam a sua receita”, disse o analista.

O encanador Edson Costa trabalhou um ano de carteira assinada. Depois disso, passou a prestar serviços na construção civil, mas de maneira informal. Há menos de um mês, ele decidiu procurar o Sebrae e se tornou um microempreendedor individual.

“Pelo tempo que eu comecei a trabalhar fichado [com carteira assinada], se eu tivesse dado continuidade até hoje, provavelmente esse ano ou ano que vem eu estaria aposentado por tempo de serviço”.

DEIXAR COMENTÁRIO

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui