Polícia Civil faz buscas em endereços de advogado suspeito de fraudar processos no TO

0

Mandados foram cumpridos em Pequizeiro, na região central, durante a operação Kompentenz. Suspeita é que advogado fraudava documentos para iniciar com ações em comarcas onde clientes não moravam.

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos na manhã desta terça-feira (11) em três endereços de um advogado em Pequizeiro, na região central do estado. A operação realizada pela Polícia Civil busca apurar suposta fraude processual feita pelo profissional para direcionar processos para comarcas diferentes do local onde os clientes moravam. A ação foi chamada de Kompentenz.

As investigações começaram há cerca de dois meses após informações fornecidas pelo próprio poder judiciário. O delegado Bruno Gomes Borges informou que 41 casos estão sendo investigados.

A suspeita é que o advogado falsificava as procurações e assinaturas, além de fornecer endereços diversos de onde os clientes moravam. O objetivo era direcionar as ações para outras comarcas da região.

Conforme a investigação, os processos foram propostos nas comarcas de Colinas, Guaraí e Pedro Afonso. Embora, os autores morassem em Pequizeiro, que faz parte da comarca de Colmeia.

A suspeita é de que o advogado fazia uma procuração verdadeira e colhia a assinatura do cliente. Depois, digitalizava a assinatura e colava em uma procuração falsa.

“Diante das evidências de que teria as procurações originais, pedimos a busca e apreensão nos três endereços dele: nos Correios (onde é funcionário), na Câmara Municipal (onde é assessor jurídico) e na residência onde tem o escritório”, explicou o delegado.

Durante a operação foram apreendidos documentos, computadores e celulares. Participaram da ação 12 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães da delegacia de Colméia, Pequizeiro e regional de Guaraí.

Ainda conforme o delegado, as fraudes prejudicam a distribuição correta de processos e realização da justiça porque causam tumulto no poder judiciário. As investigações continuam.

Outro lado

A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Tocantins informou que o presidente, Gedeon Pitaluga, e a presidente da Subseção de Guaraí, Marcela Félix, acompanham pessoalmente as buscas da operação para garantir as prerrogativas e as garantias profissionais dos advogados envolvidos.

“A OAB/TO informa que só se pronunciará oficialmente sobre o caso após a ter acesso aos autos”, diz a nota.

DEIXAR COMENTÁRIO

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui